[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» Gastronomia Regional e Vinhos > Vinhos Pub
Pub  
 

«Pelo seu ditoso clima, Portugal possue condições em extremo favoraveis ao desenvolvimento da videira, que apresenta ao mesmo tempo muitas variedades, conforme as regiões: na de entre-Douro-e-Minho, mais fria, e de solo granítico, medra quasi exclusivamente a videira de vinho verde, conquanto a região do vinho verde seja mais extensa1; na parte média da bacia do Douro, paleozoica (pre-cambrica) e com declives extensamente assoalhados, medra a videira do vinho generoso; entre o Dão e o Mondego, em terrenos graniticos, medra a videira do vinho conhecida com o nome do primeiro d'estes rios; na Estremadura Cistagana, em terreno mesozoico, medra a videira do vinho de Torres;

Regiões Vinícolas de Portugal - Ilustração de Mário Costa (1902-1975)

em pleno coração do Alentejo, quente e sêco, medra a videira do vinho de Borba e de Pera manca; no Algarve, região de estios calidos, e bafejada pelos ventos de Africa, medra a videira do vinho da Fuseta. Temos ainda outras regiões vitiferas que dão origem a vinhos notaveis: Bairrada, na Beira Ocidental, Colares, Bucelas, Carcavelos, na Estremadura Cistagana.»
(foi mantida a ortografia original)
In Etnografia Portuguesa - Tentame de sistematização, Vol.||,  pelo Dr. J. Leite de Vasconcelos

 


 

(1) Nos termos da Carta de Lei de 18 de Setembro de 1908, publicada no Diario do Governo nº215, a região do vinho verde é formada pelos distritos administrativos de Viana do Castelo e Braga, e pelos concelhos Mondim de Basto, no de Vila Real; de Santo Tirso, Vila do Conde, Povoa do Varzim, Bouças, Maia, Valongo, Paredes, Paços de Ferreira, Lousada, Felgueiras, Penafiel, Amarante, Marco de Canaveses, Baião e Vila Nova de Gaia, no do Porto; Castelo de Paiva, Macieira de Cambra, Arouca, Ovar, Feira, Oliveira de Azemeis e Estarreja, no de Aveiro; e Oliveira de Frades, Vouzela e S. Pedro do Sul, no de Viseu. (foi mantida a ortografia original)


» Denominações de origem: localização geográfica
Dizem que «(...) um acidente enológico ocorrido em 1820 terá estado na origem de mudanças substanciais no processo de elaboração dos vinhos do Douro, ao ponto de provocar evoluções sucessivas que viriam a desembocar em algo parecido como o que hoje conhecemos como vinho do Porto.
Porém, não é menos verdade que foram as exigências colocadas pelo transporte para Inglaterra, o particular gosto dos consumidores britânicos e a necessidade de dar resposta às exigências do mercado a suscitar algumas mudanças decisivas
In "O melhor de Portugal" - Guia EXPRESSO"


» Vinhos portugueses: origem e proveniência
Açores - Na ilha do Pico existe uma adega cooperativa que vinifica quase exclusivamente todo o vinho branco, obtido das castas Verdelho, Arinto e Fernão Pires, é fresco, leve, seco e frutado. Igualmente é laborado um vinho branco à base de Verdelho, que é seco, com uma graduação alcoólica entre os 15 e os 17 graus, com características organolépticas excelentes para aperitivo e que alcançou no século passado grande prestígio internacional, pois era muito apreciado na Corte Russa.

»
Vinho Verde: região e qualidades
Desde a Antiguidade que a cultura da vinha tem grande importância e influência nesta Região, tanto no aspecto socioeconómico como paisagístico. Apontamentos literários e vestígios arqueológicos indicam que esta cultura já existia durante a ocupação Romana no séc. III a.C.. Segundo o Prof. Fregoni – citado por Duarte Amaral – foram homens naturais da Toscana integrados nas legiões romanas que terão introduzido no Minho a forma de condução da vinha em enforcado. Uma doação do Rei Ordonho, de 915, à Igreja de S. Tiago (hoje freguesia da Correlhã, Ponte de Lima) refere vinhas nesses domínios. 

»
A Região Demarcada do Douro
A Região Demarcada do Douro (a Primeira Região Demarcada e Reconhecida do Mundo) foi criada no reinado de D. José I, pelo seu Primeiro-Ministro e futuro Marquês de Pombal, Sebastião José de Carvalho e Melo, por Lei de 1756, a qual, após sofrer alterações ao longo dos tempos, foi confirmada em 1921. Esta belíssima região, também conhecida como «País Vinhateiro», estende-se ao longo do vale do Rio Douro e dos seus inúmeros afluentes, desde Barqueiros (Mesão Frio), até Barca d'Alva, numa área aproximada de 250.000 ha, abrangendo concelhos dos distritos de Vila Real, Viseu, Bragança e Guarda.

» Vinhos da Península de Setúbal
A Península de Setúbal é pois uma região pioneira na elaboração de produtos vinícolas de reconhecida qualidade, como é o caso do Moscatel de Setúbal, vinho generoso cuja área produtiva se encontra delimitada desde 1907, apesar da sua produção ser bastante anterior. Na região existem dois tipos de Moscatel, o branco e o roxo, elaborados, respectivamente, através das castas Moscatel de Setúbal e Moscatel Roxo. Estes vinhos só podem ser engarrafados após 18 meses de estágio.

»
Provérbios sobre o Vinho
Ao teu amigo e ao teu vizinho o teu melhor pão e o melhor vinho. | Quem tem bom vinho tem bons amigos. | Vinho e amigo, o mais antigo. | Vinho e medo descobrem o segredo. | Vinho doce bebe-se como se nada fosse. | Se queres o velho menino, dá-lhe doce e vinho.

» Dez mandamentos dos bêbados
Mogadouro: 1º - Beber com assesto (sossego). | 2º - Esgotar os copos até o fundo. | 3º - Fazer da garganta um ribeiro...

» Mandamentos do vinho
Baçal - Bragança: Primeiro, amarás | O vinho de Portugal, | Auga le num botarás | P´ra que te num faça mal.

» Mandamentos do vinho
Lousa - Torre de Moncorvo: O primeiro amarás | O vinho de Portugal, | Água não lhe deitarás, | Que te pode fazer mal.

Também poderá estar interessado em...

» Receitas Tradicionais
A Gastronomia Portuguesa é uma cozinha antiga e sábia, rica em qualidade e diversidade, independentemente da região onde nos encontramos.
Que mais poderá querer o gastrónomo mais exigente quando se encontra perante comidas temperadas a preceito, substanciais, completas, saudáveis e, podemos afirmar, com um vinho apropriado a cada uma.
É, pois, manifestamente difícil, para não dizer impossível, escolher qual ou quais as melhores receitas de pratos, desde as Entradas e as Sopas, até às Carnes e aos Peixes, sem esquecer as Sobremesas…

  Gosta da página? Partilhe!

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster