[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub
 
»» O SABER NÃO OCUPA LUGAR >> Textos, Opiniões e Comentários Pub


Postal da Aldeia

Lino Mendes (Portugal) 

Há quem não atribua à expressão “movimento folclórico” o mesmo conceito que atribui a “movimento de folclore”, considerando que a mesma entra já nos domínios da criatividade. No que me diz respeito, de uma maneira geral, uso a segunda expressão “movimento de folclore”, embora considere que ambas têm o mesmo significado, já que folclórico, ainda é sinónimo de folclore. Não sou, no entanto, detentor da verdade absoluta…

Chamou-me também a atenção, que alguém se referisse a determinado grupo enaltecendo o facto de o mesmo não só se dedicar ao folclore como também à etnografia. Mas será que é possível, pergunto eu, no caso do grupo, separar uma coisa da outra?

É grande a confusão que por aí vai quanto ao conceito de etnografia, que em meu entender merece uma reunião alargada para definição do mesmo, a exemplo, aliás, do que aconteceu com o folclore. Mas deixemos entretanto um poucochinho do que em 1/10/1993 o nosso amigo Bertino Coelho Martins nos dizia no jornal "O Almonda":

Folclore, é a abstracção popular que vem até nós pelo ouvido e pela vista: a fala, o canto, a dança; os usos e costumes, a tradição, a devoção, a crença; as superstições e as lendas, tudo são manifestações folclóricas;

Etnografia vem da matéria popular, isto é, tudo o que nos passa pelas mãos, os trabalhos em todos os seus aspectos: o artesanato a agricultura, a habitação, o fabrico do pão e do vinho, a caça e a pesca, a fiação e a tecelagem, etc.,um sem número de trabalhos em que as mãos intervêm, tudo é Etnografia.

Claro que entre o Folclore e a Etnografia haverá alguns pontos de contacto, mas podemos concluir que “os sentidos da vista e dos ouvidos nas coisas populares nos conduzem ao folclore, enquanto os outros sentidos, pelos trabalhos das mãos, nos dão a Etnografia”.
 

 
»» Ler mais "Textos de Opiniões" de Lino Mendes

Pub

 

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster