[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub
 
»» O SABER NÃO OCUPA LUGAR >> Textos, Opiniões e Comentários Pub
Pub  
 

O Folklore não faz parte da Cultura Portuguesa

Carlos Gomes(*)

 

Faz hoje(*) precisamente 167 anos que o arqueólogo inglês Ambrose Merton, aliás William John Thoms, criou o termo folclore para designar o que até então não passavam de “antiguidades populares”, sem qualquer outro interesse para além da satisfação da curiosidade, até ao aparecimento do positivismo e do espírito científico.

Porém, os hábitos de consumo impostos pela sociedade capitalista levam à remoção de todos os obstáculos que se levantam à padronização de mentalidades, costumes e valores culturais ou seja, todos os fatores que contribuem para a formação da identidade dos povos e a sua relação de pertença a uma nação. Por conseguinte, a nossa própria cultura tradicional, mormente a língua, as tradições, os gostos e formas de pensar encontram-se ameaçados pela cultura anglo-saxónica que constitui presentemente o instrumento de dominação cultural dos povos subjugados ao capitalismo consumista.

Por ironia, aqueles que em Portugal se colocaram em campo para preservar os usos e costumes do nosso povo, as suas tradições e identidade, acabaram por importar um neologismo de origem anglo-saxónica que nada tem a ver com a Língua portuguesa e as nossas raízes culturais – o termo folklore provém da acoplação dos vocábulos folk e lore de origem inglesa!

Pese embora a nossa plena identificação com o conceito que lhe está subjacente, a sua adoção no âmbito da defesa e preservação dos nossos valores culturais afigura-se como uma incongruência e uma atitude a todos os títulos incompreensível no seio de uma sociedade cultural e linguisticamente tão rica como aquela a que pertencemos – Portugal! (*)

 

(*) Artigo escrito em 22 de Agosto de 2013

(*) Jornalista, Licenciado em História


 

Textos de Carlos Gomes - Index>>>

Outros Textos e Opiniões >>>

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster