[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub
 
»» Pessoas ligadas ao Folclore, à Etnografia, à Cultura Popular Portuguesa  (2) Pub

Pub

 

 

Sem dúvida que as pessoas são uma das maiores riquezas que Portugal tem. Como indivíduo, com características pessoais únicas e irrepetíveis, ou como membro de um um grupo sócio-cultural e/ou económico, o Português é, nas palavras de Jorge Dias "... um misto de sonhador e de homem de acção, a que não falta certo fundo prático e realista. (...) é mais idealista, emotivo e imaginativo do que homem de reflexão. O Português é, sobretudo, profundamente humano, sensível, amoroso e bondoso, sem ser fraco. Não gosta de fazer sofrer e evita conflitos, mas, ferido no seu orgulho, pode ser violento e cruel." (in Os Elementos Fundamentais da Cultura Portuguesa)
Conheça algumas frases e citações>>>

Página com informações biográficas de folcloristas, etnógrafos, etnólogos, antrpólogos...
»» Armando Leça
Nasceu em Leça da Palmeira, 9.8.1893 - Faleceu em Vila Nova de Gaia, 20.1.1977.
Pseudónimo do compositor, folclorista [e etnomusicólogo] Armando Lopes (Leça da Palmeira, 9.8.1893 - Vila Nova de Gaia, 20.1.1977).
Estudou no Conservatório Nacional, onde veio a ensinar as disciplinas de Piano e Composição. Com 18 anos publicou valsas para piano e com 19 anos 14 canções líricas, contidas no Cântico das Flores, 1912.
Foi Professor de Canto Coral no Liceu de Rodrigues de Freitas (no Porto), compositor e folclorista.
»» Augusto Gomes dos Santos
Nasceu em Arcozelo, 23.07.1924 – faleceu em Arcozelo, 9.07.2011)
Augusto Gomes dos Santos dedicou mais de 40 anos da sua vida à divulgação do folclore, da etnografia e das tradições populares Portuguesas.
Fundou a Federação do Folclore Português em 1977 (tendo sido Presidente da Direcção desde a fundação até 2004, e depois foi seu Presidente Honorário), dirigiu diversos Ranchos em Arcozelo, e organizou/coordenou durante muitos anos o Festival de Folclore Nacional do Algarve.
»» Cecílio Gomes da Silva
(1923-2005)
Natural do Funchal, engenheiro silvicultor de profissão, detinha na imprensa da Madeira colunas habituais onde dissertava sobre assuntos técnico-científicos. São exemplo disso a colaboração dispersa na revista Islenha e múltiplas intervenções no Jornal da Madeira, vindo a revelar-se profético o artigo “Eu tive um sonho”, publicado em 1985 no Diário de Notícias do Funchal, sobre a iminência de enxurradas desastrosas nesta cidade. No mesmo âmbito, relevo para «O Problema dos Altos-Chãos da Madeira: floresta ou pastorícia?», opúsculo editado em 1996 pela Região Autónoma da Madeira (Cadernos Madeirenses, n.º 2).
»» Ernesto Luís Alves da Veiga Oliveira
 (1910-1990
Etnólogo,  responsável pela renovação desta ciência em Portugal, era natural do Porto. Licenciou-se na Faculdade de Direito e na Faculdade de Ciências Histórico-Filosóficas da Universidade de Coimbra.
Tendo descoberto a sua vocação de etnólogo nas diversas viagens que realizou de Norte a Sul de Portugal, conheceu Jorge Dias em 1932, com quem manteve uma longa amizade. Com este e outros investigadores formou o Centro de Estudos de Etnologia, em 1947.
»» Fernando de Castro Pires de Lima
Porto, 1908-1973
Etnógrafo português, natural do Porto. Diplomou-se na Escola de Medicina daquela cidade, assumindo, posteriormente, a direcção da Enfermaria do Hospital Geral de Santo António.
Na área da etnografia, foi presidente do Instituto de Etnografia e director do Museu e Etnografia e História (actual Museu de Etnografia).
»» Fernando Lopes Graça
Nasceu em Tomar a 17/12/1906
Compositor e musicólogo (n. Tomar 17/12/1906. Formado no Conservatório Nacional de Lisboa, estreou-se com Variações sobre Um Tema Popular Português, 1029, para piano.
Em Paris, de 1937 a 1939, estudou Musicologia  na Sorbona. Desde então desenvolveu intensa actividade como pianista, compositor, crítico, organizador e regente de coros populares.
»» Gonçalo Sampaio
São Gens de Calvos, Póvoa de Lanhoso n. 1865 - Porto f. 28/07/1937
Nasceu em São Gens de Calvos, Póvoa de Lanhoso, no ano de 1865, e faleceu na cidade do Porto a 28/07/1937.
De origens humildes, foi com algum sacrifício de parentes e amigos que iniciou os seus estudos na cidade de Braga e os continuou no Porto.
Matriculou-se na Universidade de Coimbra com a intenção de se licenciar em Matemática. Mas desistiu do curso ao fim de um ano. Acabou por se formar em Ciências Naturais pela Academia Politécnico do Porto.
»» Jaime Lopes Dias
Nasceu em Vale de Lobos, em 1890. Faleceu em Lisboa no ano de 1977.
Nasceu em Vale de Lobo, actual Senhora da Póvoa (Penamacor) em 1890. Formou-se em direito pela Universidade de Coimbra, navegou pelo funcionalismo público, tendo desempenhando vários cargos: notário em Idanha-a-Nova, administrador deste concelho, secretário-geral do Governo Civil de Castelo Branco, alto funcionário do Ministério do Interior, e, desde 1946 a 1960 (data da sua aposentação), director dos serviços centrais da Câmara Municipal de Lisboa.
»» Joaquim Teófilo Braga
1843-1924
Escritor e político português. Estudou direito em Coimbra a partir de 1861, doutorando-se sete anos depois. Foi regente da cadeira de literaturas modernas no curso superior de letras, em Lisboa. Fez parte do grupo de intelectuais que, insurgindo-se contra o ultra-romantismo e o estado da nação, originaram a Questão Coimbrã.
Republicano, dirigiu o governo republicano provisório, tendo sido presidente da república, embora por pouco tempo, em 1915.
  Gosta da página? Partilhe!


<<<Página anterior +++++ Página seguinte>>>

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster