[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» Pessoas ligadas ao Folclore, à Etnografia, à Cultura Popular Portuguesa>> António Jorge Dias Pub
Pub    
  António Jorge Dias (1907-1973)

Etnólogo português, nascido no Porto. Estudou filosofia germânica na Universidade de Coimbra e, em 1938, foi nomeado leitor de português nas universidades alemãs de Rostock, Munique e Berlim, e nas espanholas de Compostela e Madrid.

Especializou-se em etnologia na Alemanha, onde fez doutoramento em 1944, com a tese Vilarinho dos Furnas, Uma Aldeia Comunitária, na Universidade de Munique.

Regressou a Portugal em 1947 e ingressou no Centro de Estudos de Etnografia Peninsular do Porto (1947), nele se criando uma secção de etnografia sob a sua direcção. Paralelamente, exerceu funções de docente na Faculdade de Letras de Coimbra. A criação do Centro de Etnografia e a publicação da sua tese sobre Vilarinho marcaram o renascimento do interesse científico pelas tradições nacionais e pela discussão do conceito de cultura na sua universidade.

Em 1956, a convite do Instituto Superior de estudos Ultramarinos, veio para Lisboa, sendo encarregado de proceder a levantamentos etnológicos no Ultramar, e recebendo a cátedra e a regência da especialidade no Instituto (1957). Em 1962 foi criado o Centro de Estudos de Antropologia Cultural, a que foi acrescentando o Museu de Etnologia do Ultramar, defendendo na universalidade da etnologia.

Deixou publicada mais de uma centena de trabalhos que muito contribuíram para o levantamento das tradições e das leis locais da cultura portuguesa. Deles se destacam Os Arados Portugueses e as suas Prováveis Origens (1948), Rio de Onor, Comunitarismo Agro-pastoril (1953) e Os Macondes de Moçambique (1964-70)

Fonte: Enciclopédia Universal Multimédia da Texto Editora (1997)

  Gosta da página? Partilhe!

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster